Coaching, Psicologia e um desserviço que uma novela presta à população brasileira.

 

                  Nos últimos dias, uma novela da maior emissora brasileira, se tornou assunto para coaches e psicólogos por todo o país. Na trama, uma personagem tem dificuldades para ter relações sexuais com seu marido e busca ajuda com a advogada, que é coach e trabalha também com hipnose. Nas cenas que foram ao ar, a advogada conduz a sua cliente em uma “experiência de regressão”, na qual a jovem percebe que sofreu abuso sexual durante a infância.
                  A profissão de coach e os cursos de coaching, embora já existam há décadas, ainda são desconhecidos para grande parte da população. Além disso, o contexto em que o Coaching vem sendo apresentado na novela pode gerar uma interpretação equivocada sobre o método. Portanto, nos vemos na obrigação de oferecer alguns esclarecimentos:     
               
                  1 – O que é o Coaching?
                  Coaching D.i é uma metodologia relacionada a atingimento de metas, realização de objetivos e tomada de decisão. O coaching vem ganhando cada vez mais espaço no mundo todo e já compõe cursos e programas de universidades como HarvardWhartonInsead e Columbia.
                   No curso Coaching D.i, antes de atingir metas e objetivos acima citados, o aluno faz uma catarse emocional do seu passado, identificando nele, tudo negativo que ele recebeu ou sofreu na infância e adolescência e que tem forte influência hoje na sua vida adulta sem que ele perceba. As crenças limitantes são um exemplo forte disso. Em seguida, através da escrita, de dinâmicas e exercícios dirigidos, faz uma limpeza interior desse lado negativo, para aí dar lugar ao positivo. 
                  Todo processo de coaching começa com a identificação do Estado Atual, ou seja, como estão a vida e os resultados do aluno hoje. Em seguida, o aluno define seus objetivos, o que chamamos de Estado Desejado. A partir daí, o coach ajuda o cliente a perceber os fatores impeditivos e facilitadores no seu caminho e a traçar as ações que o levarão do ponto inicial ao ponto desejado. Se o cliente apresenta, por exemplo, a demanda de restaurar a relação conjugal, o trabalho do coach é oferecer ferramentas e exercícios que contribuam com esse objetivo.
                  2 – Coaching não é tratamento.
                  Mesmo que o aluno traga uma demanda relacionada à saúde física ou mental, o processo de coaching não é, nem deve ser encarado como um tratamento. Se o aluno apresenta instabilidade emocional muito forte ou dá indícios de que passou por um forte trauma, como o caso de abuso retratado na novela, é fundamental que ele seja direcionado para um profissional da área de saúde mental, como psicólogo e/ou psiquiatra. Nesses casos, é esse profissional quem dirá se o cliente pode ou não realizar o processo de coaching em paralelo ao acompanhamento psicológico.

 

                 3 – Coaching não é aconselhamento
                 O coaching é uma metodologia que traz consciência para o cliente através de questionamentos, semelhante à maiêutica de Sócrates. Consiste na multiplicação de perguntas, induzindo o interlocutor na descoberta das próprias verdades e na busca pela realização de um objetivo. Dessa forma, um profissional de coaching, em nenhum caso, deve dar conselhos ou soluções para os desafios do cliente. Diferente do que vem sendo retratado na novela.
 
                 4 – Coaching não é psicoterapia
                 Existem muitos coaches que buscam a formação em Psicologia para entenderem melhor a demanda de seus clientes. Da mesma forma, cada vez mais psicólogos buscam o curso Coaching D.i para ampliarem seus horizontes e, quando for pertinente, utilizar ferramentas do D.i na terapia. Isso não significa que essas áreas se confundam. 

 

                 5 – O coach pode atender clientes com traumas profundos ou com depressão?
                 O Coaching é uma metodologia que veio para ficar, baseada em conceitos e técnicas da Psicologia Positiva, Neurociência, Antropologia, Administração, Filosofia, Sociologia e Pedagogia. É um caminho a mais, e não o único, para o desenvolvimento humano.
 
                  Coaching D.i, oferece uma abordagem diferente do coaching tradicional, nós temos três objetivos macro:
  1.                  1 - Construir um estilo de vida abundante, de acordo com a nossa filosofia de que todas as pessoas podem ter um vida extraordinária;
  2.                   2 - Desenvolver a Inteligência Emocional.
  3.                   3 - Fortalecer as crenças de identidade, capacidade e merecimento do cliente.
 
                  Nesse sentido, o Coaching D.i se diferencia por mobilizar razão e emoção, com a mesma intensidade, na direção dos objetivos do aluno, sempre buscando o equilíbrio e a realização em todas as áreas da vida.

 

                   O nosso trabalho como pode ser um aliado na superação de traumas e no alívio dos sintomas de depressão, principalmente como consequência do estilo de vida que incentivamos. Isso é o que temos percebido ao longo de 32 anos de experiência, com relatos constantes dos nossos alunos. Nossa metodologia também busca pesquisar para entender cada vez mais a contribuição do coaching na qualidade de vida das pessoas.
                   
                    No entanto, o trabalho do coach de forma alguma pode ser visto como um substituto ao acompanhamento psicológico. Somos solidários ao posicionamento do Conselho Federal de Psicologia, que afirmou: “pessoas com sofrimento mental, emocional e existencial intenso devem procurar atendimento psicológico com profissionais da Psicologia, pois são os que tem a habilitação adequada”. Essa é a orientação que sempre damos aos nossos alunos que participam do Coaching D.i.

                     O nosso maior compromisso é com a transformação de vidas, sempre de forma ética e responsável.